18/06/2017 • 20:43

Em desabafo na internet, mãe alega espera de 5 horas para criança receber atendimento após entrada em PS

Mãe de criança de 10 anos com prego enferrujado no pé, denunciou suposta demora no atendimento na Santa Casa

  Uma criança de 10 anos precisou de atendimento de emergência, neste domingo (18) e o caso ganhou proporções de debate nas redes sociais. Sônia Macedo, a mãe da criança, postou uma foto do pé do filho com um grande prego enferrujado em um grupo de debates na internet, reclamando da demora do atendimento emergencial. Segundo a mãe, depois da postagem o filho foi atendido. A espera, segundo relatos, passou de 5 horas e meia.

 A prefeita Cristina Arantes e o vice Frauzo Sanches se pronunciaram e relataram que todas as medidas necessárias foram tomadas. Funcionários também narraram todo o procedimento.

Entenda o caso

  Segundo relatos, o primeiro atendimento a criança aconteceu às 10:29 horas no Pronto Socorro da Vila Maria, e depois de medicado no primeiro atendimento, a criança foi encaminhada para a Santa Casa depois de um diagnóstico que a situação precisaria ser tratada no hospital.

   Às 15:30 horas, a mãe torna o caso público postando na internet que até aquele momento, a criança não havia tido atendimento cirúrgico. Segundo a mãe, ela esperou duas horas no PS da Vila Maria, depois mais duas horas na Santa Casa, até o caso vir a público.

   Por volta das 16:00 horas, funcionárias da Santa Casa relataram que a criança já estava no Centro de Cirúrgico do hospital. Do primeiro atendimento no PS da Vila Maria até a entrada no Centro cirúrgico, foram mais de 5 horas e meia, o que motivou os questionamentos de protocolo de emergência na rede de saúde de Ibitinga.

  “Das 10:20 da manhã pra tirarem o prego às 16:00 horas é muito tempo para uma criança ficar esperando”, relatou a mãe, explicando para a reportagem os motivos que a levarem para tornar o caso a público na internet.

  O caso viralizou na internet, chegando a ter mais de 230 comentários.

Aproveite e cadastre-se em nosso site caso ainda não tenha seu login e senha

Primeiro acesso? Cadastre-se aqui.

Login

nome
e-mail válido
senha
confirmar senha
e-mail
senha
Esqueceu a senha?
Para lembrar, digite seu e-mail no campo acima e clique aqui.
18/06/2017 • 20:43

Em desabafo na internet, mãe alega espera de 5 horas para criança receber atendimento após entrada em PS

Mãe de criança de 10 anos com prego enferrujado no pé, denunciou suposta demora no atendimento na Santa Casa

  Uma criança de 10 anos precisou de atendimento de emergência, neste domingo (18) e o caso ganhou proporções de debate nas redes sociais. Sônia Macedo, a mãe da criança, postou uma foto do pé do filho com um grande prego enferrujado em um grupo de debates na internet, reclamando da demora do atendimento emergencial. Segundo a mãe, depois da postagem o filho foi atendido. A espera, segundo relatos, passou de 5 horas e meia.

 A prefeita Cristina Arantes e o vice Frauzo Sanches se pronunciaram e relataram que todas as medidas necessárias foram tomadas. Funcionários também narraram todo o procedimento.

Entenda o caso

  Segundo relatos, o primeiro atendimento a criança aconteceu às 10:29 horas no Pronto Socorro da Vila Maria, e depois de medicado no primeiro atendimento, a criança foi encaminhada para a Santa Casa depois de um diagnóstico que a situação precisaria ser tratada no hospital.

   Às 15:30 horas, a mãe torna o caso público postando na internet que até aquele momento, a criança não havia tido atendimento cirúrgico. Segundo a mãe, ela esperou duas horas no PS da Vila Maria, depois mais duas horas na Santa Casa, até o caso vir a público.

   Por volta das 16:00 horas, funcionárias da Santa Casa relataram que a criança já estava no Centro de Cirúrgico do hospital. Do primeiro atendimento no PS da Vila Maria até a entrada no Centro cirúrgico, foram mais de 5 horas e meia, o que motivou os questionamentos de protocolo de emergência na rede de saúde de Ibitinga.

  “Das 10:20 da manhã pra tirarem o prego às 16:00 horas é muito tempo para uma criança ficar esperando”, relatou a mãe, explicando para a reportagem os motivos que a levarem para tornar o caso a público na internet.

  O caso viralizou na internet, chegando a ter mais de 230 comentários.

Link
seu nome
seu e-mail
e-mail destinatário
mensagem
0 comentários

360 caracteres restantes